Avançar para o conteúdo principal

Espírito Livre, Criativo & Efervescente!

Há filmes que nos transportam para a época que retratam, põe-nos a desejar viver naquele ambiente, respirarmos o mesmo ar e que nos fazem sonhar por nos identificarmos com a história que contam e que é possível acreditarmos que também podemos alcançar o que vemos no grande ecrã!
A propósito da grande influência que os anos 60 têm no meu trabalho, face ao espírito jovem, irreverente, lutador, o filme “We’ll Take Manhattan” diz-muito! 
Decorria o ano de 1962, quando o jovem e irreverente fotógrafo britânico David Bailey foi contratado pela Vogue Britânica para fotografar o editorial “Young Idea Goes West” que iria mais ao encontro do público jovem que desejava uma moda diferente, mais de acordo com uma atitude espontânea, livre! 
Bailey impôs a presença de Jean Shrimpton como modelo, porque conciliava a sua personalidade forte com traços belos e suaves!
Logo a partir daqui, a editora de moda da revista, Lady Clare Rendlesham começou a opor-se às ideias do fotógrafo, argumentando que Jean Shrimpton não condizia com a imagem da revista e não era a modelo ideal. Porém, David Bailey manteve-se firme e conseguiu convencer a revista sobre a sua escolha!
David Bailey e Jean Shrimpton foram então para Nova Iorque fazer o editorial, sob a supervisão de Lady Clare Rendlesham (enviada para coordenar a sessão fotográfica pelos pontos turísticos de Manhattan) que a todo o custo tentou manter o padrão sóbrio da revista, opondo-se constantemente às ideias do fotógrafo.
Farto da fotografia de moda da época composta por modelos em poses rígidas, sempre com o nariz empinado, em cenários bonitos e impecáveis, David Bailey decidiu quebrar com a tradição, fotografando Jean Shrimpton na rua em cenários quotidianos (mesmo se estivessem transeuntes a passar no momento da foto), dando liberdade à modelo renegando as poses ensaiadas, polidas e mostrando a realidade!
Assim foram criadas fotos mais espontâneas, em vez de serem tão rígidas e calculadas, com Jean Shrimpton a usar alta costura nas ruas e a democratizar a moda!

Inspiro-me muito neste filme, pela crença e atitude guerreira de David Bailey ao mostrar que devemos acreditar nas nossas convicções e quando batalhamos a sério pelo que queremos, é possível alcançarmos o que sonhamos!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Inspiração: Fotógrafa Ellen Von Unwerth

A alemã Ellen Von Unwerth é uma das fotógrafas de Moda mais originais! O seu estilo provocador, realça mulheres fortes e dominadoras!  Primeiro fez carreira como modelo e a experiência à frente das câmaras ajuda-a a passar confiança para quem fotografa, com um estilo muito próprio, a preto-e-branco ou com cores saturadas.  A feminilidade tem bastante destaque nas suas fotografias, repletas de sensualidade, fetiche e glamour!  Poses eróticas inseridas em cenários ricos em detalhes e com um toque vintage compõem as suas fotografias.








O Impacto de uma Mudança de Visual

Tudo começou quando vi a actriz Emma Watson (a Hermione do Harry Potter) com o seu novo e impactante pixie cut! 



Chamou-me bastante a atenção e levou-me a questionar:
Qual a importância da imagem na nossa identidade?
Se a imagem mudar, até onde se altera a nossa identidade? 
Quando a jovem actriz cortou o seu longo cabelo após as filmagens da saga Harry Potter, foi como se se estivesse a libertar de algo e a rejuvenescer!




Uma mudança de visual é sempre sinónimo de renovação, mas também de independência, elegância e personalidade!
Primeiro pus estas questões em debate numa curta-metragem que escrevi e realizei em 2011: “Nova Vaga”.



Entretanto passei para a Fotografia face ao poder que tem de preservar para a eternidade momentos únicos!
E dá-me também a possibilidade de trabalhar/lapidar com mais cuidado a imagem de alguém.
Destacar, expor na plenitude os pontos mais fortes da Mulher, passou a ser o trabalho que mais gozo me dá, porque acredito que enquanto vivemos, temos que deixar uma marca fo…

Polaroid- A Paixão pelo Retro

Adoro o estilo retro, recorrer ao passado à procura de inspiração para criar algo novo, com uma identidade muito própria e requintada. Sempre apreciei bastante a Fotografia Polaroid pelo seu lado rústico, fascina-me a imperfeição que proporciona às fotografias, que ficam com um toque único e artístico!


É também um instrumento de auto-reflexão, que preserva momentos da nossa vida e é palpável. Por isso decidi acrescentar às minhas valências a fotografia Polaroid, em dois formatos (seja em sessão normal ou artística):
Wide (rectangular)- foto exemplo


Square (quadrado)- foto exemplo


Preços sob consulta.